24 de novembro de 2015 por Becomex

Bloco K Sped: uma simples obrigação fiscal?

Vimos no post anterior sobre Bloco K que essa nova obrigação permite um maior controle dos dados de produção e de estoque das empresas. Estamos em vias da entrada em vigor dessa obrigação fiscal e, infelizmente, oBloco K Sped é tratado meramente como uma exigência do governo. No entanto, diferentemente de tudo o que já foi liberado e exigido pelo governo, ele é estratégico e de extrema importância para as empresas.

Muitas companhias pensam que o Bloco K Sped é uma função a ser delegada para a área de TI, porém, gerar o layout exigido é a parte mais simples. O foco deve ser a qualidade e a conformidade das informações apresentadas sobre tudo o que foi comprado, consumido e vendido. Afinal, o governo terá condições de aferir eletronicamente os estoques das empresas e, com isto, identificar quem está declarando um saldo em estoque divergente da movimentação.

A experiência da Becomex mostra que o próprio Bloco H – Inventário já apresenta grandes divergências, principalmente para o varejo que compra e vende, sem realizar muitos processos de transformação. Para as empresas que possuem produção, o Bloco K Sped fará todo este link entre a compra, consumo e venda.

Dentre os principais pontos de atenção do Bloco K, destacamos:

– Troca de Códigos – Part Numbers

– Ajustes de Inventários sem respaldo na movimentação de estoque

– Controle de Operações com Terceiros

– Fatores de Conversão

– Produtos Similares e Substitutos

– Tratamento de Perdas no processo produtivo

– Consumos de insumos indiretos

– Duplicidade de Part Number

– Apontamentos do chão de fábrica divergentes ou incompletos

Diante desses pontos, fica claro que o Bloco K Sped requer organização e controle dos dados das empresas, antes de serem enviados ao governo. Acompanhe nossos próximos posts sobre o assunto e prepare-se para essa entrega.

Quer saber mais sobre o tema? Escreva para nós.

Becomex

Veja outros posts!