26 de novembro de 2014 por Becomex

Em cinco anos, todos os pneus vendidos no país serão ecológicos

Produto atende exigências do programa Inovar-Auto para redução de consumo e de emissões de poluentes.

Todos os pneus destinados às montadoras deverão ser ecológicos em torno de cinco anos. A afirmação foi feita por Ariel Depascuali, então presidente da Bridgestone do Brasil, durante coletiva de imprensa, na última terça-feira (18/11), na sede da empresa, em Santo André, para informar a transmissão de seu cargo para o executivo Fábio Fossen (ver reportagem nesta página).

De acordo com Rodrigo Queiroz, gerente geral de Venda de Equipamento Original e Exportação, 99% dos projetos da Bridgestone já são voltados para o segmento ecológico.

“São produtos que estão alinhados com as exigências do programa do governo federal Inovar-Auto. As montadoras precisam produzir carros que emitam menos poluentes e esse tipo de pneu auxilia bastante”, explicou Queiroz, que sustentou a tese de Depascuali, ex-executivo da empresa, sobre a substituição das borrachas comuns pelas ecológicas.

Por ordem de importância, o pneu é o terceiro item do desenvolvimento de um carro a contribuir para a redução de consumo de combustível. Em primeiro lugar está o motor e em segundo a aerodinâmica.

A tecnologia com que são produzidos os pneus ecológicos possibilita reduzir a resistência ao rolamento em até 40% em relação aos convencionais. O resultado é uma economia de combustível de até 4%.

No Brasil, além de fornecer às montadoras, a Bridgestone disponibiliza os chamados pneus verdes aos consumidores, por meio de sua rede de distribuição. Trata-se do modelo B250 Ecopia, produzido nas duas unidades fabris da empresa no País, em Santo André e em Camaçari (BA).

A empresa também trabalha com novos conceitos de pneus ecológicos. Durante o Paris Motor Show deste ano, a Bridgestone apresentou a segunda geração da linha Air Free, que substitui a câmara de ar convencional por uma série de bandas de resina que absorvem o impacto com o chão.

Indústria investe R$ 105 milhões em Santo André

Durante coletiva de imprensa na sede da Bridgestone, em Santo André, na terça-feira (18/11) para comunicar a troca de comando da companhia no Brasil, o agora ex-presidente Ariel Depascuali, afirmou que serão investidos no triênio 2014-2016 R$ 105,3 milhões na unidade de Santo André para torná-la mais competitiva. O novo presidente da empresa, Fábio Fossen, terá pela frente o desafio de conduzir o que ainda falta desse processo de modernização e, principalmente, aproximar mais a marca dos canais de distribuição e do consumidor.

“Peguei a empresa em situação complicada por conta da invasão de importados e a entrego preparada para enfrentar a concorrência. O foco é recuperar nossa participação no mercado”, disse Depascuali. Hoje, a Bridgestone é a terceira maior empresa do setor no Brasil e a primeira no mundo.

Fábio Fossen, por sua vez, explicou que o plano é fortalecer os canais de distribuição e ampliá-los. “Atualmente, temos 600 pontos de distribuição e estudamos os pontos descobertos para nos colocarmos presentes. Além do mais, faremos campanhas para que os consumidores associem a palavra pneu à marca Bridgestone”, contou.

Tecnologia – No total, a Bridgestone investirá, até 2016, US$ 120 milhões no Brasil. Além do montante já colocado na unidade andreense, e que aumentou a capacidade de produção em 10%, a companhia despejou outros R$ 34,3 milhões na fábrica de Camaçari (BA) para duplicar a produção da linha agrícola.

A unidade do ABCD produz 26 mil pneus por dia e a da Bahia 8 mil. Apesar de implantar equipamentos automáticos, a expectativa é de aumento do número de empregados em até 10%, durante 2015.

Fonte: ABCD Maior

Becomex

Veja outros posts!