02 de maio de 2012 por Becomex

Meta de exportações para 2012 é de US$ 264 bilhões

O secretário-executivo do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Alessandro Teixeira, anunciou, no início de março, que as exportações brasileiras devem atingir, em 2012, o valor recorde de US$ 264 bilhões. A meta anunciada é 3,1% maior que o valor total das vendas externas brasileiras em 2011. O cenário internacional de instabilidades econômicas ainda prevalece com sinais inibidores do crescimento do comércio mundial, o que exerce um efeito de contenção do crescimento das exportações brasileiras.

Teixeira disse que havia possibilidade de o valor ser maior, não fosse a atual situação econômica nos países da chamada zona do euro. “A meta poderia ser mais ambiciosa, mas ainda não temos uma visibilidade clara em relação à União Europeia. Não posso afirmar que cresceremos muito para a região e nem o quanto cresceremos para os Estados Unidos, mas já sentimos uma recuperação da economia americana desde o final do ano passado. A tendência é que a economia americana se recupere mais no segundo semestre isto quer dizer que, provavelmente, nossas exportações também aumentem”, destacou.

Ao citar os Estados Unidos, o secretário-executivo do MDIC aponta uma tendência que foi levada em conta no cálculo da meta de vendas externas para este ano. Os estudos técnicos utilizados para estabelecer o valor da nova meta levaram em conta vários indicadores. Um deles foi o comportamento de mercados internacionais que são grandes compradores de produtos brasileiros. Os números recentes da balança comercial já refletem que a recuperação da economia norte-americana deve ser uma das principais influências no crescimento das exportações brasileiras de produtos manufaturados.

No primeiro trimestre, as exportações brasileiras aos Estados Unidos apresentaram crescimento de 38,8%, a maior taxa registrada entre os principais mercados de destino do País, no período. Na análise da secretária de Comércio Exterior, Tatiana Lacerda Prazeres, com a tendência de queda no preço das commodities, deve aumentar a importância das vendas de produtos brasileiros de maior valor agregado para mercados como os Estados Unidos.

Os dados da balança comercial do trimestre já sinalizaram a mudança. “Chamam a atenção o aumento dos valores exportados e o crescimento dos manufaturados, que apresentaram expansão de 6%, em comparação a iguais meses de 2011, taxa superior à verificada nas exportações totais, de 5,8%” avaliou a secretária. De janeiro a março, as exportações dos três grupos de produtos – manufaturados, semimanufaturados e básicos –  tiveram valores recordes para o período.

Fonte: Informativo Secex  Nº 33, 27 de Abril de 2012

Becomex

Veja outros posts!